A HISTÓRIA DE POUSO ALEGRE

 A história de Pouso Alegre começou como Arraial de Bom Jesus de Matozinhos do Mandu. Os primeiros sinais de povoação datam do século XVIII, com o agricultor João da Silva que doou uma área para a construção da primeira igreja dedicada ao Senhor Bom Jesus. A primeira missa foi realizada em 1795 pelo padre Francisco de Andrade Melo, que então residia na Paróquia de Santana do Sapucaí.

Em 1797 o governador D. Bernardo José Lorena, Conde de Sarzedas, passou pela nascente povoado e adotou a denominação Pouso Alegre, posteriormente sancionada por lei.

 
Já em 1790, o povoado foi elevado à categoria de freguesia. Fato interessante é que exatos quarenta anos depois, o Padre Bento fundou o jornal “O Pregoeiro Constitucional”, responsável por imprimir o projeto da nova Constituição do Império, chamada “Constituição de Pouso Alegre”.

A emancipação municipal veio em 1832, mesmo ano em que foi levantado o pelourinho, no Largo da Alegria. Outro fato histórico importante ocorreu em 1833, Pouso Alegre se fez presente ao lado da legalidade, enviando numeroso contingente quando irrompeu o conflito regencial que aconteceu em Ouro Preto, então Província de Minas Gerais.

 
(Fonte:“Almanaque Sul-Mineiro de 1874”)

 

 

Formação Administrativa

 O distrito foi criado com a denominação de Pouso Alegre por Alvará de 06 de novembro de 1810 e pela Lei Estadual nº 2, de 14 de setembro de 1891. A elevação à categoria de vila veio em 7 de maio de 1832, quando foi desmembrada de Campanha. Pouso Alegre passou, de fato, a ser uma cidade apenas em 1848 através da Lei Provincial n.º 443, de 19 de outubro.

 
Com uma área de 542,797 km², Pouso Alegre é hoje a segunda maior cidade do Sul de Minas Gerais em termos populacionais, com uma estimativa feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE 2020) de 152.549 habitantes.

OS SÍMBOLOS

 

 Hino 

Pouso Alegre centenária,
A cidade legendária,
Mãe de um povo varonil!/
Sua história é mais brilhante
Que o mais rútilo diamento
Das minas do meu Brasil!
II
Pouso Alegre das igrejas
Das libélulas andejas,
Dos veréis, do colibri!
De um florido e eterno prado,
Da vendinha, do terrado,
Do Rio Sapucaí!
III
Pouso Alegre das Campinas,
Dos jardins, das casuarinas,
Das praças, da Santa Cruz!
O belo rincão mineiro,
Que tem como padroeiro
O Senhor São Bom Jesus!
IV
Pouso Alegre do passado,
De Antônio José Machado
Destas terras doador!
De Zé Bento, de Josino,
De Eduardo, Bernardino,
E outros vultos de valor!
V
Pouso Alegre do passado, 
De Antônio José Machado
Destas terras doador!
De Zé Bento, de Josino,
De Eduardo, Bernardino,
E outros vultos de valor!
V
Pouso Alegre dos colégios
De grande vultos egrégios,
Que de Minas glória são!
O teu mandu, entre outeiros,
Canta tal qual os tropeiros
Que pernoitaram em teu chão!
VI
Pouso Alegre centenária, 
O cidade legendária
Mãe de um povo varonil!
Tua história é mais brilhante, 
Que mais o rutilo diamante
Das minas do meu Brasil!
Do meu Brasil!
Letra: Milton Reis
Música: Maestro Gabriel Migllori
Oficializado pela Lei nº 2.214/87

 

ECONOMIA

 Pouso Alegre se destaca atualmente como um verdadeiro polo industrial. Com 301 indústrias, o destaque vai para a presença de empresas dos setores alimentícios, de medicamentos e de máquinas pesadas.

 
Importante ressaltar que Pouso Alegre conta com 10.984 habitantes no campo, responsáveis por tornar a cidade a segunda maior produtora de morangos em Minas Gerais, com 17,7 mil toneladas.

 
A cidade conta ainda com mais de 8.020 estabelecimentos comerciais e 11.073 prestadores de serviços, que contribuem para que o município possua a maior economia da região Sul do Estado, com um PIB de R$ 6,55 bilhões e um PIB per capita de R$ 50.211,91.

 
(Fonte: Sala Mineira do Empreendedor, 2020)

INFRAESTRUTURA

 Como características urbanas, Pouso Alegre apresenta 92% de domicílios com esgotamento sanitário adequado e outros 61,5% de domicílios urbanos em vias públicas com arborização, além de 29,6% de domicílios urbanos em vias públicas com urbanização adequada (presença de bueiro, calçada, pavimentação e meio-fio). A cidade possui ainda um sistema de coleta seletiva, que abrange 12,6% dos dejetos. Além disso, o município conta com um aterro sanitário e também uma parceria para destinação de parte do lixo produzido a um aterro sanitário no interior paulista.

 
No setor da educação possui 16 universidades, um polo do Instituto Federal do Sul de Minas, 34 instituições de ensino municipais (14 creches, 03 pré-escolas, 1 escola especial, 1 EJA, 15 escolas municipais), 11 estaduais (Ensinos Fundamental e Médio) e 13 escolas particulares. A taxa de escolarização, de 6 a 14 anos, chega à casa de 98,2%.

 
Além de referência econômica, Pouso Alegre é também referência no setor regional da saúde, com o Hospital das Clínicas Samuel Libânio (HCSL), que atende a 16 microrregiões do Estado de Minas Gerais, correspondendo a 191 municípios com uma população estimada de em 3,5 milhões de possíveis pacientes.

 
A cidade conta também com um aeroporto com pista de 1.280 metros, pátio para estacionamento de aeronaves, dois hangares e um terminal de passageiros. Outro importante setor é o Porto Seco que conta com logística integrada na região sudeste para atender todo o território brasileiro e o mundo.

 
O Sistema Indi Maps é outro importante dispositivo para a economia local. Ele disponibiliza aos interessados em instalar empresas na cidade todas as informações sobre os espaços disponíveis, como medidas, valor, forma, contato e permite escolher o que o empresário quer por perto de seu estabelecimento.

Turismo


 Fontanários

O Fontanário Machado é uma fonte de água mineral localizada em uma área de preservação, no bairro Colinas de Santa Bárbara. As fontes Capitão Geraldo Cunha e João Paulo II também são outros pontos a serem visitados.
 

 

                      "Mina do João Paulo"                                            "Minha do Machado" 

 

Parque Zoobotânico

 

O Parque Zoobotânico reúne orquidário e trilhas para caminhada. Fundado em 1975, é circundado por vários fragmentos florestais em sua zona de entorno, que abrange mais de 500 hectares de Mata Atlântica preservados. 
 

  

  

  Mercado Municipal

O Mercado Municipal, além de um local de compras, é um dos pontos mais históricos e tradicionais da cidade. Localizado na região central, ele guarda características peculiares, que podem ser conferidas pelos visitantes.

  

 

Teatro Municipal
O Teatro Municipal de Pouso Alegre foi inaugurado em 1875 após ser construído como uma miniatura do famoso Teatro da antiga Vila Rica, atual cidade de Ouro Preto. Hoje totalmente reformado, o prédio já foi usado como uma loja de móveis, uma rádio e até uma cadeia. O Teatro declarado Patrimônio Histórico de Pouso Alegre e protegido por tombamento em 1999.

 

 

 
Turismo religioso
Catedral

 

 

 
A Catedral Metropolitana é a sede da Arquidiocese de Pouso Alegre. A primeira missa no local foi celebrada em 6 de abril de 1952, mas sua inauguração aconteceu apenas no dia 3 de agosto de 1980. Suas paredes são decoradas com pinturas do artista plástico espanhol José Perez de Moraes.
Carmelo da Sagrada Família
O prédio do Carmelo foi fundado em 1957 e integra o conjunto de bens tombados pelo Patrimônio Histórico e Cultural de Pouso Alegre.
Santuário Imaculado Coração de Maria
Santuário Imaculado Coração de Maria foi inaugurado no dia 07 de dezembro de 1905. O Santuário apresenta rica contribuição não somente religiosa, mas também histórica e arquitetônica para a cidade e região.

 

 

 
Estátua Cristo Redentor
O monumento do Cristo Redentor foi desenvolvido pelo artista Genésio Moura e inaugurado em dezembro de 2000. Considerado o terceiro maior do Brasil, fica em uma altitude de 1.200 metros e conta com um mirante que permite uma visão panorâmica de Pouso Alegre. Em seu entorno encontra-se uma área de preservação permanente.
 

    

 

 
Pastel de Milho
Uma das tradições pouso-alegrenses é o “Pastel de Farinha de Milho”. As várias barracas instaladas na região central da cidade são pontos certos e recomendados para quem visita Pouso Alegre. Por sua ligação com o município, o modo de preparo foi tombado como patrimônio cultural imaterial.